Versão OriginalBuscarMenu
Buscar
Buscar
quinta, 6 de abril de 2017 - 11h47

Você sabe a importância das cores Vermelho, Amarelo, Verde e Azul no atendimento médico?

ministério da saúde

 Instituído mundialmente, na década de 90, o Protocolo de Manchester consiste em uma triagem dos pacientes que chegam aos hospitais e unidades de saúde. O atendimento deixa de ser por ordem de chegada e passa a ser realizado conforme a gravidade de cada caso.

Antigamente, a entrada dos pacientes aos serviços de Urgência e Emergência acontecia por ordem de chegada, ocasionando graves danos à saúde do paciente, aumentando o risco de mortalidade.

Essa falta de organização nos serviços de urgência e emergência não era um problema limitado ao Brasil, mas a todo o mundo e, por isso, foram surgindo alguns protocolos para melhorar essa Classificação de Risco.

Em Campo Grande, as unidades básicas de saúde adotaram o Acolhimento com Classificação de Risco, baseado no Protocolo de Manchester, preconizado na Política Nacional de Humanização, proposta pelo Ministério da Saúde.

Como funciona?
A identificação é feita pela equipe de enfermagem da unidade. Após a avaliação, os Boletins de Atendimento Médico já recebem cores que identificam o grau de risco:

Vermelha: indica risco altíssimo, com necessidade de atendimento imediato, tendo prioridade entre os demais. A previsão é de que o atendimento aconteça em até 10 minutos.

Amarela: significa urgência e demanda atendimento rápido, que deve acontecer em até 30 minutos.

Verde: indica menor urgência, casos em que o paciente pode aguardar atendimento. Nesta situação, o atendimento pode acontecer no prazo de 120 minutos.

Azul: indica paciente sem urgência, aqueles que poderiam ser atendidos nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). Nestes casos, o atendimento pode ser realizado em até 240 minutos.

Flávio Freitas Barbosa, presidente do Sinmed-MS salienta que não basta adotar o protocolo sem antes possuir materiais adequados e profissionais capacitados para realizar as triagens. Além disso, destaca a importância da conscientização da sociedade sobre os conceitos de emergência e urgência. “Evidente que a população quer um atendimento rápido, mas algumas pessoas têm condições de esperar mais que outras e, por isso, o Protocolo ajuda identificar pacientes com maior grau de urgência ou emergência”, acrescenta.

Se aplicado de forma eficaz, esse processo de classificação de risco pode contribuir positivamente, garantindo a qualidade e segurança no atendimento de saúde.
 

Subir ao TopoVoltar
PlataformaPlataforma de Notícias DothNews